Desafio da geração Z na busca pelo primeiro emprego é tema de live do Instituto Pe. Vilson Groh

A geração Z começou a acessar o mercado de trabalho. Hipercontectada e engajada em causas sociais, essa geração prioriza experiências de vida, quer relações de trabalho flexíveis e autonomia. Para falar sobre os desafios dessa juventude na busca pelo primeiro emprego, o Instituto Pe. Vilson Groh (IVG) realiza nesta terça (09), das 14 às 15h, uma live com a gerente de desenvolvimento humano na Teltec Solutions, Natália Pruchneski, e o diretor de gestão de talentos na RD Station, Anderson Nielson. A live será transmitida nas redes sociais do IVG. Link Youtube | Link Facebook

Nos projetos e programas do Instituto, a geração Z é público maioritário, principalmente no Projeto Pode Crer, que acontece em três trilhas formativas; duas delas são focadas justamente nesse adolescente e jovem que vêm de um contexto social e econômico que os afasta das universidades e de uma boa colocação no mercado de trabalho. Defasagem na educação e dificuldades financeiras estão entre os principais fatores, por isso, o Pode Crer existe: para formar esses adolescentes e jovens, no contraturno escolar, dando a eles condições de desenhar seus projetos de vida e se aproximar, principalmente do setor que mais cresce em Florianópolis, o setor de tecnologia e inovação.

Em fase piloto, o Pode Crer atende 320 crianças, adolescentes e jovens. Desses, 250 são da geração Z. Ao longo do ano de 2021, eles têm participado de diversas oficinas que abordaram tanto hard quanto soft skills. Ou seja, habilidades profissionais e socioemocionais. Programação, web design, inglês, empreendedorismo, arte, comunicação e expressão, direito e cidadania, são alguns dos assuntos abordados nas aulas, que acontecem duas vezes na semana, no Centro Cultural Escrava Anastácia, localizado no bairro Estreito, em Florianópolis.

O objetivo desta live é que as empresas, de diversos setores, conheçam o projeto Pode Crer e o potencial dessas juventudes, entendendo sua criatividade e vivências como saídas para os problemas sociais que se agravam na sociedade. Das oficinas, já surgiram diversas ideias de empreendimentos, como empresas que oferecem serviço de aproveitamento da água da chuva nas periferias, que pensam no avanço de outros modais de transporte para amenizar os gargalos no trânsito, quem pensam na problemática da pobreza menstrual, no acesso à internet para comunidades empobrecidas, entre outras ideias que estão sendo em fase de projeto. Essa juventude está em busca do primeiro emprego. O que as empresas esperam dela?

Alguns depoimentos de jovens do projeto Pode Crer:

“Eu sempre sonhei em ser médica, mas com o passar do tempo e algumas reflexões, descobri que eu tenho interesse no mundo digital, na costura e também em outras áreas. Por isso, nunca parei de aprender mais. Para mim, o conhecimento pode mudar o mundo.” – Widza.

“Desde de pequeno sempre fui alguém introvertido. Hoje eu consigo ser alguém mais comunicativo e extrovertido graças ao projeto Pode Crer. Acho que o meu maior sonho no momento é ser um designer. Luto de muitas formas para alcançar esse sonho, converso com muitos especialistas na área e busco bastante informação por sites e cursos.” – Vitor.

“O projeto Pode Crer abriu meus olhos para o mercado de trabalho com a tecnologia. Antes de aprender e conhecer um pouco mais sobre a área eu me via muito longe de trabalhar com marketing, design, programação entre outros.” – Sophia.

“Por conta do projeto, comecei a sair de casa, porque eles disponibilizam vale transporte e fiz novas amizades que me motivam a cada dia mais e a abrir minha mente. Em pouco tempo na Trilha 3 do Pode Crer, um sonho antigo meu de trabalhar na programação voltou e, mesmo com poucas aulas, percebei que eu estou no caminho certo. Vai ser difícil, mas estou disposta a lutar por isso.” – Ágata.

Sobre o projeto Pode Crer

O “Projeto Caixa Tem – Programa Pode Crer” é um projeto-piloto do Programa Pode Crer que nasceu para trazer o potencial da tecnologia para resolver problemas sociais, por meio da formação de crianças, adolescentes e jovens da periferia da Grande Florianópolis, e da integração com o ecossistema de inovação da cidade.

A proposta do IVG e seus parceiros é a criação de cinco Centros de Inovação Social em comunidades empobrecidas, começando pelo Monte Serrat – com previsão de lançamento para novembro de 2022.

Serão espaços propícios para crianças, adolescentes e jovens desenvolverem seus projetos de vida, ampliarem seus conhecimentos, vislumbrarem futuros promissores em grandes empresas ou iniciarem o próprio negócio, e – principalmente – serem agentes de transformação em suas comunidades.

Em 2021, o IVG tem contado com patrocínio da Caixa e do Governo Federal, além de apoio da Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE), da Associação Catarinense de Medicina (ACM), do Floripa Sustentável, da Organização Internacional para Migrações (OIM) Brasil, do Instituto Sabin, do Sebrae SC, da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) e da WOA Empreendimentos Imobiliários. A participação é totalmente gratuita.


Compartilhe esta publicação


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *