Jovens do Pode Crer realizam visita técnica ao KAD e Laboratório de Inovação das Lojas Koerich

Com o objetivo de promover a interação entre os jovens do Projeto Pode Crer e o mundo do trabalho, o Instituto Pe. Vilson Groh realizou, na última sexta-feira (16), uma visita técnica ao KAD – Centro de Distribuição do Koerich, em Biguaçu, região metropolitana de Florianópolis.

A visita, conduzida pelo consultor de Recursos Humanos da empresa, Thiago Rinaldi, começou pelo memorial da família Koerich, passando pelos escritórios administrativos, pátio de logística, e teve encerramento no K-Lab (Koerich Lab), laboratório de inovação da empresa.

No memorial, os educandos puderam acompanhar a evolução da companhia, que começou em 1955, no ramo alimentício, chegou a atuar, mais tarde, nos setores da construção civil, automóveis e supermercados, até se dedicar exclusivamente, a partir da década de 1990, ao mercado de móveis.

Nos escritórios administrativos e no pátio de logística, os jovens puderam ver de perto o ambiente organizacional, a comunicação interna e conversar com os funcionários, além de compreender como a Koerich comanda as mais de 100 lojas espalhadas pelo estado de Santa Catarina e esquematiza a entrega de produtos.

Já no K-Lab, os educandos foram recebidos pelo COO (Diretor de Operações), Rafael Koerich, e o CTO (Diretor de Tecnologia), Rodrigo Garcia, que contaram como é a rotina de trabalho no setor de inovação da empresa, como a empresa busca entender as dores dos clientes e, a partir disso, pensar em soluções.

Visita à Neoway e ACATE

Outras visitas foram realizadas ao longo do ano. Em agosto, um grupo de jovens do Pode Crer conheceu as instalações da Neoway, empresa que desenvolve soluções de Big Data Analytics e Inteligência Artificial. Em junho, eles fizeram um tour pelas empresas que ficam no ACATE Primavera, na Rod. SC 401, em Florianópolis.

IVG realiza Projeto Pode Crer com patrocínio da Caixa

O Projeto Caixa Tem – Programa Pode Crer é uma iniciativa do Instituto Pe. Vilson Groh, correalizada com a Associação João Paulo II. Com o patrocínio da Caixa, o IVG consegue atender 300 crianças, adolescentes e jovens de comunidades empobrecidas, oferecendo uma formação que abrange o desenvolvimento de competências tanto técnicas quanto socioemocionais. Além disso, o projeto também recebe apoio de instituições importantes no Estado, como a ACATE, o Sebrae, a FIESC, o Movimento Floripa Sustentável e a WOA Empreendimentos.


Compartilhe esta publicação


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.