Projeto Pode Crer atendeu mais de 300 crianças, adolescentes e jovens de periferias em 2022

O Projeto Pode Crer chega ao fim do seu segundo ano consecutivo de realização. Patrocinado pela Caixa e o Governo Federal, a iniciativa do Instituto Pe. Vilson impactou mais de 300 crianças, adolescentes e jovens ao longo de 2022. Organizado em trilhas formativas, o Projeto se dedicou ao desenvolvimento profissional e socioemocional desse público, cheio de criatividade e potenciais.

Em 2022, foram 109 crianças e adolescentes atendidos na Trilha 1, correalizada pela Associação João Paulo II, na Comunidade da Praia, em Palhoça. Com idade entre 11 e 14 anos, esse público participou de oficinas de robótica, comunicação e expressão, inglês e música. Confira mais alguns dados:

  • 75% concluíram a trilha e foram certificados
  • 40% são meninas
  • 18 crianças e adolescentes irão participar do Torneio Sesi de Robótica, em 2023.

Já as Trilhas 2 e 3, tiveram 257 adolescentes e jovens de 15 a 22 anos, frequentando as oficinas de robótica, inglês, programação e design, audiovisual, além do laboratório de inovação social do IVG, o IVG Lab. As trilhas aconteceram no Espaço IVG, no Centro Cultural Escrava Anastácia, em Florianópolis. Confira alguns dados dessas trilhas:

  • 65% concluíram as trilhas e foram certificados
  • 60% são meninas
  • 8 são migrantes (Venezuela, Colômbia e Haiti)
  • 50 jovens se destacaram na tecnologia
  • 35 participaram do Hackathon Pode Crer
  • 200 bolsistas receberam auxílio permanência 
  • 8 cursaram o Pré-vestibular IVG e o Pode Crer simultaneamente
  • 1 a cada 4 jovens está no mercado de trabalho, como Jovem Aprendiz ou Estágio.

O investimento mensal per capita em um educando do Pode Crer é de R$ 655,42.

Além do patrocínio da Caixa e do apoio da ACATE, do SEBRAE, da FIESC, da WOA, e do Movimento Floripa Sustentável, o IVG, neste ano, também contou com o apoio da Statkraft, com doação de equipamentos; da ONG LiveLab, na realização da Jornada X; do projeto Computação na Escola, do Departamento de Estatística e Informação da UFSC, na oficina de Machine Learning; da FIESC/Senai, na oficina de FrontEnd; e da Neoway, na realização do Hackathon Pode Crer.

Mais do que números, o Projeto Pode Crer representa os diversos rostos e sonhos das comunidades das periferias da Grande Florianópolis. O Instituto Pe. Vilson Groh, agora, se prepara para dar continuidade ao projeto em 2023.


Compartilhe esta publicação


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *